Tel.: (24) 3343-1606 | 3342-4320
Filiado a Fisenge
Sindicato dos engenheiros de Volta Redonda - RJ


SENGE INFORMA – Nº 22/2017 – O PAPEL DO SINDICATO

MAIS DE R$1 BILHÃO DE REAIS 

O PAPEL DO SINDICATO 

Durante os últimos 20 anos, o Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda travou inúmeras batalhas. Sempre em defesa dos direitos dos Trabalhadores Engenheiros e, por extensão, de todos os trabalhadores.

Não poucas vezes, os Diretores do Senge-VR sofreram retaliações e perseguições por não se omitirem na luta pelos trabalhadores. Vencemos algumas boas batalhas, perdemos outras, mas continuamos sempre persistindo. Temos inúmeras vitórias, dentre as quais:

  • RESGATE DE MAIS DE R$1 BILHÃO DE REAIS DOS PATRÕES, PARA OS TRABALHADORES:

Só da CSN conseguimos via Justiça do Trabalho, o pagamento de MILHÔES DE REAIS de PLR`s para os Engenheiros e abrindo os processos para os Metalúrgicos e a todos os trabalhadores.

Ainda na CSN, após longa batalha, incluindo a ida por diversas vezes a órgãos de controle de Previdência Privada, conseguimos que ela admitisse dívida de mais de QUINHENTOS MILHÕES com a CBS. Essa dívida correspondia a um déficit que seria repassado aos participantes da Caixa.

  • PERICULOSIDADE DE ENGENHEIROS:

Outra frente de batalha do Senge-VR em todas as empresas é a obtenção do reconhecimento do trabalho em condições de periculosidade de Engenheiros. Mês passado o Senge-VR pagou mais uma ação de periculosidade para um Eng.º Eletricista, ex funcionário da CSN.

  • MAIS, MUITO MAIS:

Em demandas na justiça, ou em acordos com as Empresas, conseguimos acabar com a prática do simples desligamento de trabalhadores aposentados, fazendo com que as verbas rescisórias (multa de 40%, aviso prévio, etc.), fossem pagas a todos os aposentados que foram demitidos.

Milhares de trabalhadores entraram em processos do Senge-VR pela aplicação das correções dos Planos Econômicos sobre o FGTS, inclusive da aplicação dessas correções sobre a multa de 40% (nos casos de demissão).

Foram muitos MILHÕES DE REAIS recebidos através do Senge-VR.

Conseguimos que dezenas de trabalhadores aposentados, tivessem mantidos, seus Planos de Saúde pela aplicação do Edital de Privatização da CSN, beneficiando assim muitos aposentados que se viam extremamente pressionados pelos altos custos dos Planos de Saúde privados. Para alguns, conseguimos ainda a reposição das despesas que tiveram com o pagamento de Planos e tratamentos próprios e de familiares.

R$1 BILHÃO = PLR + CBS + PLANOS ECONÒMICOS + SAUDE + PERICULOSIDADE + OUTROS

IMPORTANTE: Em todos os casos, após termos levantado o ataque aos direitos, negociamos exaustivamente com as Empresas e órgãos públicos antes de abrirmos processos na justiça e acima de tudo, OS DIREITOS CONSEGUIDOS, eram DIREITOS de alguma forma TOMADOS dos trabalhadores, tanto eram DIREITOS que foram RECONHECIDOS pela justiça.

 

 

 

 

SÍNDROME DE STEPHEN

Quem assistiu o filme “Django Livre”, de Quentin Tarantino, sobre a escravidão nos EUA, deve se lembrar do personagem de Samuel L. Jackson, o mordomo e faz tudo STEPHEN.

Só para lembrar: Stephen era um escravo criado junto ao patrão, servindo ao mesmo tempo de mordomo, dedo duro dos escravos e, principalmente, se servindo da proximidade com o senhor dos escravos para viver a ilusão de ser também patrão.

Na verdade, Stephen não passava de um CAPACHO do senhor de escravos cujo único prazer era exercitar a maldade do patrão com seus semelhantes.

Stephen vivia das migalhas do patrão, orgulhoso por ficar em pé atrás da mesa, andar ao lado da charrete do patrão. Rindo das maldades do patrão com seus semelhantes. Aceitando, até com certo prazer, os passa foras que o patrão lhe dava sempre que se atrevia ou era mais ousado do que lhe permitia sua condição de escravo.

Mas Stephen tinha também suas mordomias: Morava na casa grande. Usava roupas velhas do patrão. Na ausência do chefe podia se comportar como se não fosse escravo. E também se divertia castigando os outros escravos. Talvez esta a melhor performance do velho escravo traidor dos seus iguais.

Stephen, na ausência do patrão, se sentia o próprio patrão. Com todos os seus poderes.

Mas Stephen não passava de um escravo. Escravo como todos os seus semelhantes com os quais se divertia castigando. E seria castigado, ou teria sua cabeça cortada, de acordo com o humor do patrão, dono verdadeiro de sua vida.

No fim, Stephen é morto por Django, um escravo liberto que teve a coragem de enfrentar o patrão branco.

Muitos STEPHENS já passaram por Empresas. Alguns duraram pouco. Outros deram enormes prejuízos por conseguirem enganar o Senhor dos Escravos por mais tempo.

Os Stephens são especialistas em cantar a música que o Senhor gosta de ouvir. Sempre incentivando o castigo, a retirada dos poucos direitos, e a morte dos escravos.

Os Stephens se sentem também senhores ao ver outros escravos no tronco, levando chibatadas, ou sendo castigados em solitárias. Ouvir os outros escravos, seus semelhantes? Jamais.

Mas a realidade sempre vai, como Django, bater à porta dos STEPHENS. Mais cedo ou mais tarde.

Você conhece algum STEPHEN?

 

NÃO FIQUE SÓ – FIQUE SÓCIO.

FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!!!

Voltar