Tel.: (24) 3343-1606 | 3342-4320
Filiado a Fisenge
Sindicato dos engenheiros de Volta Redonda - RJ


SENGE INFORMA – Nº 05/2018 – REUNIÃO SENGE -VR/ CSN.

O SENGE e o RH da CSN fizeram na última terça feira, 20/02/2018, reunião para tratar de assuntos de interesse dos Trabalhadores Engenheiros.

Acreditamos que esta reunião tenha sido a retomada de diálogo entre o SENGE e a CSN. É importante que isso aconteça. Todos só terão a ganhar com o DIÁLOGO e o RESPEITO entre a Empresa, através de seus representantes, e os Trabalhadores, através do Sindicato.

 

A seguir, os principais assuntos: discutidos:

 

  1. Salário Mínimo Profissional (SMP)

A CSN informou que está cumprindo a legislação e pagando o SMP aos engenheiros.

Para quem não sabe, a Lei 4.950-A/66 obriga os empregadores, públicos e privados, a pagarem o piso de 8,5 salários mínimos (R$ 8.109,00), ao valor vigente, aos profissionais engenheiros.

Caso algum engenheiro esteja recebendo abaixo deste valor, favor se reportar ao SENGE pelo telefone, ou pessoalmente na secretaria, para podermos levar junto a CSN.

 

  1. Horas Extras sem Folga na Aciaria e Aços Longos:

Após diversas reclamações recebidas de Engenheiros destas unidades, diretamente aos diretores do SENGE que estão na Usina, levamos o assunto ao RH, que ficou de verificar junto às unidades e dar retorno.

Em várias unidades da UPV sabemos que existe a prática de não permitir as folgas equivalentes às horas trabalhadas a mais.

Os engenheiros devem procurar os diretores do SENGE para reclamar.

Em todo caso, reforçamos a orientação para que os Engenheiros anotem, façam um diário sobre as horas a mais trabalhadas para eventual futura cobrança na justiça.

Não se esqueçam que o mesmo sistema das Catracas Eletrônicas, as Tornozeleiras Eletrônicas da CSN, usadas para controlar os trabalhadores poderão, no futuro, servir de base para reclamações na justiça.

 

  1. PERICULOSIDADE:

O SENGE está levantando as Unidades da UPV em que os Engenheiros (as) mesmo preenchendo o formulário de exposição ao perigo NÃO RECEBEM os valores devidos. Alertamos aos Engenheiros (as) para que preencham sempre os formulários, mesmo que os gerentes não tomem as providências necessárias, e que informem ao SENGE. Levaremos sempre os casos ao RH, e, caso não haja resposta, estaremos prontos para entrar na justiça com a cobrança assim que possível. O RH informa que o novo diretor (DEPRO) é totalmente a favor deste pagamento.

 

  1. EXPOSIÇÃO A GASES – PAGAMENTO DE PERICULOSIDADE:

Diretores do SENGE vêm sendo abordado por engenheiros (as) dos setores de Manutenção, Utilidades e Engenharia das áreas de Altos Fornos, Aciaria e Coqueria que não recebem PERICULOSIDADE por portarem DETECTORES DE GASES em áreas com risco da presença de Gases.

Sempre que os detectores avisam, os profissionais têm que sair correndo. Na visão do SENGE o simples fato de estarem expostos a locais de risco já determina o pagamento de periculosidade.

A CSN ficou de se posicionar, mas, mesmo assim, é preciso que os Engenheiros (as) tragam informações ao SENGE para que possamos debater o assunto com a CSN.

 

Procure o seu Sindicato. O SENGE estará sempre à disposição para defender os DIREITOS dos trabalhadores Engenheiros e Engenheiras. Ligue ou fale diretamente com um dos nossos Diretores!

 

Site: www.senge-vr.org.br

E-mail: senge-vr@senge-vr.org.br

Voltar